Workshop: Pontos de partida para um arranjo

Em agosto, nossa série de eventos “Diálogos Sonoros” terá como convidado o músico argentino Alan Plachta. No workshop “Pontos de partida para um arranjo”, ele apresentará algumas ferramentas e recursos para o desenvolvimento de arranjos de música popular, abordando as possibilidades de escrita para diferentes formações musicais.

Dia 21/08 (segunda-feira)
Das 9h às 13h
Sala 108 do Instituto de Artes da UNESP
Atividade gratuita.

Para se inscrever, acesse o link: https://goo.gl/forms/8VRlYqFtwKx8k7JC3


Alan Plachta

É instrumentista e compositor. Gravou diversos CDs, dentre os quais: ‘Un viaje’ – Richard Nant / Alan Plachta (2016); ‘Ingrid’ (2015); ‘Colectivo Argentino Uruguayo’ (2011); ‘Lúdico’ (2007) e ‘De todas las Tardes’ (2005).
Suas composições fazem parte do Real Book Argentina, projeto que reúne composições de Jazz Argentino.
Em 2017, vem para o Brasil como convidado para realizar a produção e os arranjos de disco sobre o músico mineiro Danilo Schultz e do novo álbum da cantora portuguesa Suzana Travassos. Também realiza a gravação do álbum de estreia da dupla que formou com o clarinetista paulista Alexandre Ribeiro.
Como professor, ofereceu oficinas e seminários na CCK (Argentina), Centro Cultural Haroldo Conti (Argentina), NEMPLA (Argentina) e IA-UNESP (Brasil). Em 2017, assumiu o cargo de professor no curso de Jazz e Música Criativa da Universidad Tecnológica – UTEC (Uruguai).

alanplachta.com


Organização:
PET-Música do Instituto de Artes da UNESP
https://petmusica.wordpress.com
Facebook: PET-Música
E-mail: petmusicaunesp@gmail.com

Instituto de Artes da UNESP
R. Dr. Bento Teobaldo Ferraz, 271, Barra Funda – São Paulo
Ao lado da estação Barra Funda de metrô.
www.ia.unesp.br

WorkshopAlanPlachta_

 

Advertisements

Coletivo Capim Novo: concerto e conversa

O COLETIVO CAPIM NOVO é um espaço de livre criação, com foco na difusão da música autoral contemporânea e suas possibilidades de desdobramentos estéticos. Nasceu a partir da parceria entre professores e alunos da EMESP [Escola de música do Estado de São Paulo]. O coletivo se desdobra em algumas ações práticas dentro do universo da música contemporânea atual, integrando concertos, ações educacionais, processos colaborativos de composição e performances urbanas. Estreou no auditório Zequinha de Abreu em outubro de 2014, depois seguiram-se apresentações na biblioteca Mário Schenberg, na Laboriosa89, UNESP, Ibrasotope, participou do II Música Estranha – Encontro Internacional de Música Exploratória.

NÚCLEO ENXERTIA: O Núcleo Enxertia surgiu da mobilização de integrantes que fazem parte do Coletivo Capim Novo, grupo de compositores e intérpretes de música contemporânea. A partir de pesquisas de possíveis interações e contatos entre a linguagem sonora com outras linguagens (dança, teatro, audiovisual, tecnologia/iluminação, etc.), o núcleo tem como principal objetivo a criação de espetáculos e obras de música cênica.

Essas interações entre as linguagens abriram também a possibilidade da integração de pessoas de áreas distintas, o que resultou num grupo de criação multidisciplinar, onde cada personagem trás suas especificidades técnicas e conceituais para o trabalho. 
No fim do ano de 2016 o Núcleo Enxertia estreou seu primeiro espetáculo na Mostra de Dança do CRDSP, apresentação que contou com a colaboração, desde o início do processo criativo, de instrumentistas, compositor, iluminador, dançarina e cenografista. Além desse primeiro espetáculo, foram apresentadas obras de música cênica em concertos do Grupo de Música
Contemporânea da EMESP, do Ateliê de Música Contemporânea da EMM-SP, assim como em participações no IV Festival de Música Estranha e no Projeto Vertigo do CCSP.
Cartaz-2

Worshop: Introdução à Administração de Artes e seus dilemas Econômicos

Introdução à administração de Artes 2 facebook

Ingresso: R$ 45 para estudantes / R$ 90 para profissionais
Estudantes, servidores e professores da comunidade Unesp não pagam
Inscrições de 10 a 27 de abril, das 8h às 16h na Seção Técnica de Finanças, 4º andar do Instituto de Artes
Ou via depósito bancário em conta:
Banco do Brasil: 001
Agência: 2800-2
Conta nº 16478-X
CNPJ: 48.031.918/001791
Razão Social: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Nome Fantasia: Campus de São Paulo)

Por favor, imprimam e guardem seus comprovantes de pagamento para apresentação na entrada do Teatro. Estudantes devem apresentar carteirinha.

Estrutura do Curso por Palestra:

1) Análise sobre os setores da Arte/Cultura no Brasil e nos Estados Unidos (27/04, quinta-feira, 10h às 13h)
2) Entendendo os aspectos e dilemas econômicos de administração de artes (27/04, quinta-feira, 14h30 às 17h30)
3) Caso Prático: Análise financeira e provisionamento do orçamento para a manutenção de uma orquestra (28/04, sexta-feira, 10h às 13h)
4) Seminário, Discussões e Apresentação de Ideias & Soluções pelos participantes: Mesa Redonda com convidados (28/04, sexta-feira, 14h30 às 17h30)

Palestrante: Marcel Nadal Michelman (Mestre em Administração de Artes pela New York University e Mestrando em Direito pela Cornell Law School)
Organização: Graziela Bortz
Participação de: Marcos Sadao Shirakawa (Ex-maestro da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo), Cintia Zanco (Orquestra Jazz Sinfônica) e Emilliano Patarra (Maestro da Orquestra Sinfônica Jovem de Guarulhos)

Descrição:

Num universo em que as organizações se pautam cada vez mais sobre o gerenciamento de corporações, organizações sem fins lucrativos, que dependem de doações e captações financeiras de diversas fontes, têm se espelhado naquelas. É preciso observar as consequências dessa mímica das corporações na administração de áreas essencialmente não lucrativas, tais como saúde, educação e cultura; entre as consequências mais graves, encontra-se o risco em se desvirtuar a missão central de tais atividades.

A gestão de hospitais, serviços sociais, zoológicos, museus, teatros e mídias educativas diversas (mídia impressa, TVs, rádios, podcasts, bibliotecas, entre outros) fazem parte de organizações que têm sofrido ou aprendido a sobreviver e dar continuidade a seu papel em meio à crescente intrusão da ideologia corporativa em diferentes países.

Nos últimos anos, assistimos ao crescente desmantelamento de instituições de cultura e, na música, recentemente, houve cortes de grupos e festivais com cerca de 30 anos de existência, a exemplo da Oficina de Música de Curitiba, da Orquestra da PUCRS, Orquestra e Balé do Teatro Guaíra em Curitiba, e da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo.

O curso busca oferecer ferramentas que capacitem nossos estudantes e profissionais a se apropriarem de conhecimentos sobre as estruturas administrativas de cultura e captação com o intuito de conquistar autonomia profissional e financeira. Propõe-se a atender a demanda da comunidade acadêmica, em articulação com a comunidade externa. Tratará de questões relacionadas à administração da arte no âmbito governamental e não governamental, abrangendo, mas não se restringindo a, identificação de potenciais doadores, administradores públicos, mecenas e leis de incentivo fiscal.

 

Chamada de Artigos

A Revista Música em Foco é o novo periódico anual organizado pelo grupo PET-Música do Instituto de Artes da UNESP, cujo objetivo é difundir as pesquisas em música feitas por graduandos e recém-formados (até um ano após o término da graduação) dos cursos de música e áreas afins (como artes cênicas, artes visuais, arquitetura, antropologia, ciências sociais, história, geografia, educação, psicologia, filosofia e letras).

A publicação será online (visualização e/ou download) e sediada no endereço http://www.periodicos.ia.unesp.br/.

As publicações enviadas serão avaliadas anonimamente por dois pareceristas (professores universitários, mestrandos ou doutorandos) e, caso haja discordância, será solicitado a um terceiro que avalie. Caso haja um número excedente de publicações aceitas, estas poderão ser remanejadas para outras edições se houver concordância do(s) autor(es).

Ao submeter o trabalho, o(s) autor(es) concordam com a possibilidade de mudanças na formatação do texto para enquadramento na identidade visual da revista. É de responsabilidade do primeiro autor: a autenticidade do artigo, o consentimento dos demais autores do texto com a publicação, a exatidão das citações e referências no final do trabalho e seu conteúdo.

Os trabalhos deverão seguir as normas da ABNT e estar identificados antes do título com nome completo do(s) autor(res) do trabalho, orientador (caso haja), instituição e ano em que foi feito. Junto ao trabalho deve ser enviado um currículo. Serão aceitos artigos, resenhas e, eventualmente, entrevistas. Os artigos devem ter uma extensão de no máximo 12 páginas (incluindo bibliografia, quando for apenas texto) e 14 páginas (incluindo bibliografia, texto e imagens) e sua extensão mínima é de 8 páginas, considerada sua totalidade e com a fonte Times New Roman tamanho 12 e espaçamento de 1,5 cm – sendo possível, em caráter excepcional, a aprovação de textos mais ou menos extensos.

As resenhas e as entrevistas devem ter uma extensão de 2.000 a 4.000 palavras, considerada sua totalidade – sendo possível, em caráter excepcional, a aprovação de textos mais ou menos extensos. Resenhas devem vir acompanhadas da ficha técnica completa do objeto resenhado.

Os trabalhos devem ser enviados dentro das exigências acima até o dia 20 de Abril de 2017 para o e-mail petmusicaunesp@gmail.com com o título Revista Música em Foco.

Aniversário PET 20 anos

O Programa de Educação Tutorial do Ministério da Educação é composto por grupos tutoriais de aprendizagem e busca propiciar aos alunos, sob a orientação de um professor tutor, condições para a realização de atividades extracurriculares que complementem a sua formação acadêmica, procurando atender mais plenamente às necessidades do próprio curso de graduação e/ou ampliar e aprofundar os objetivos e conteúdos programáticos que integram sua grade curricular, seguindo o modelo da indissociabilidade entre o ensino, a pesquisa e a extensão.
O grupo PET Música foi criado no Instituto de Artes da UNESP em agosto de 1996, pelo Prof. Dr. Roberto Antonio Saltini. Inicialmente composto por um número mínimo de quatro bolsistas, foi ampliado após avaliações positivas e hoje conta com doze bolsistas, número máximo que o programa permite. Em 2000, o grupo teve seu segundo tutor, o Prof. Dr. Paulo Castagna, que permaneceu até maio de 2004, e, a partir de junho, a Profa. Dra. Marcia Guimarães assumiu a tutoria do grupo PET-Música. Desde outubro de 2015 a tutoria do PET-Música está a cargo do Prof. Dr. Maurício De Bonis.
Em sua história o PET-Música trabalhou intensamente no incentivo à produção artística no Instituto de Artes da UNESP, participou dos encontros dos Grupos PET do Estado de São Paulo; produziu a revista PETulante e atuou em diversos congressos e eventos acadêmicos.
Entre as linhas de atividades atuais do PET Música estão as palestras e concertos da série Música em Foco (com convidados do IA e externos), as oficinas e masterclasses da série Diálogos Sonoros, a Véspera Profana (mostra de composições dos alunos do IA), a Mostra de Música Contemporânea, a série de mesas redondas IA em Debate, os concertos da série Música no IHG (Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo), além da elaboração para o ano que vem de sua nova revista eletrônica Música em Foco e do planejamento de mostras de filmes e documentários sobre música.
Em 2016 o grupo PET-Música UNESP comemora 20 anos de existência e para celebrar compartilharemos nossa história com você: diversos bolsistas passaram pelo grupo e apresentaremos aqui alguns relatos desses ex-petianos. Leonardo Martinelli e Helen Gallo foram bolsistas no início do PET -Música e trazem aqui um pequeno depoimento sobre suas experiências vividas no grupo.

Mostra de Música Contemporânea

Olá!

O Grupo PET-Música convida a todos para mais uma edição da Mostra de Música Contemporânea.

“Harlekin” (45′) e “Der kleine Harlekin (11′), de K. Stockhausen, são duas peças multidisciplinares nas quais o clarinetista personifica o arlequim utilizando-se também de recursos coreográficos e teatrais em sua performance. Em 2012, PAULA PIRES estreou nos palcos brasileiros a peça “Der kleine Harlekin” e através de um prêmio concedido pela FUNARTE recebeu orientações , na Alemanha, da própria Suzanne Stephens (clarinetista para qual Stockhausen escreveu as peças). Depois deste longo trabalho, a proposta é debutar nos palcos brasileiros a peça “Harlekin” , onde o público poderá experienciar a junção de diversas vertentes artísticas em um único espetáculo.

Não percam!

Para mais informações acesse:  https://www.facebook.com/events/1778165755763605/

cartaz-p-pires

Mostra de Música Contemporânea: Ateliê Contemporâneo

O Ateliê Contemporâneo tem como objetivo desenvolver atividades pedagógicas nas áreas de instrumento, canto e composição para atuação na performance do repertório musical dos séculos XX e XXI, estimulando uma postura criativa e um treinamento técnico especializado.

Palestra 19h
– A voz solo na primeira metade do século XX, com Laiana de Oliveira.

Concerto 19h30
– O Ateliê Contemporâneo da Escola Municipal de Música de São Paulo, coordenado por Tiago Gati, interpretará obras de: Maurice Ravel, Leon Steidle, Edgard Varèse entre outros.

Evento gratuito.

Para mais informações, acesse: Facebook

carta2z